Entre o Caramelo e o Sal

por Monique Burigo Marin às 10:50 PM
                                                                                           Ilustração: Wang Chung Ru

Há muito céu nesse chão que eu piso. Leveza demais nesse caminhar. Sei que a qualquer momento um buraco abrirá sobre os meus pés.
Uma voz diz: Isabel, não tenha medo. Mas eu tenho medo, Dona Voz. Tudo o que tenho é um paraquedas de sacola plástica. E a voz insiste: Prove que ainda sabe voar! Mesmo que artificialmente. Mesmo que isso te quebre os dentes. Tudo tem um preço. Até a doçura que te faz sorrir é industrializada e falsa.
Todos os dias, enquanto penso no que fazer para o almoço, escuto a voz cantarolar:
Seus dias na cozinha são o seu empreendimento,
Creme do céu dura só por um momento,
Bolinho de chuva ela não erra, não.
Essa menina está sempre na contramão...
Confunde tempestade com as chuvas de verão!
Só pode estar sob algum encantamento,
Sua cabeça anda igual pastel de vento.
Isabel, quando crescer, descobrirá o seu talento
Nasceu para ser a garota do tempo!
Tento fazer com a que a voz desapareça. Já quebrei os dentes e a cara. Quero ser cineasta. E entre o caramelo e o sal, eu estou sentada, comendo pipocas de uma em uma. É que gosto dos prazeres lentos, degusto aos poucos, torcendo para que nunca acabe.


Monique Burigo Marin

7 comentários on "Entre o Caramelo e o Sal"

Bruuh Fevers on 28 de fevereiro de 2011 18:49 disse...

Seu blog é muito lindo!Adorei as imagnes que vc coloca ;)

http://imodelblog.blogspot.com/

Dan Arsky Lombardi on 28 de fevereiro de 2011 20:08 disse...

O doce sintético anestesia a queda?
Para voar lembre-se que bastam borboletas em sua barriga.

Pedro on 28 de fevereiro de 2011 21:52 disse...

Totalmente Monique. Magnifique!
HAHA!

leticia ramos on 1 de março de 2011 02:36 disse...

Esses dias, quando falei das frases de amor, não era exatamente uma crítica. Acho que é algo tão de momento. Quando solteira, eu tinha um desprezo, admito, haha. Mas foi só me apaixonar/sofrer/desapaixonar e etc, que comecei a me identificar. As vezes um pequeno detalhe que descreve tanto os sentimentos. (ok, olha eu sendo clichê xD)

leticia ramos on 1 de março de 2011 02:36 disse...

Btw, LINDA escolha de imagem. Eu sempre babo nas imagens dos teus posts. E óbvio, não apenas nas imagens.

Kelly Christi on 1 de março de 2011 04:42 disse...

gostei dos seus textos de um modo geral, e a forma como trata seus sentimentos nesse caos cotidiano rs

to te seguindo

http://pequenosdeleites.blogspot.com

Mia on 1 de março de 2011 09:26 disse...

Eu me encantei com seu texto (ou será que deveria chamar de ensaio e prosa?), mas sinceramente, não consegui entender o que ele realmente diz ali. Eu sei, talvez eu não tenha me esforçado, mas acredite: eu li, reli e li novamente. Será um sonho perdido? Será uma frustração? Será um desespero de alma brotando devagar? De qualquer forma, parabéns, você escreve muito bem. Bjo! (:

http://miasamarah.blogspot.com/

 

Template e imagens do layout por Wiliam Jose Koester.