Irreversível

por Monique Burigo Marin às 5:56 PM
Às vezes me pergunto se também irei, um dia, separar na foto os nossos corpos. Ou se farei uma fogueira com as lembranças de nós dois. 
Suspeito que depois eu tentaria, em desespero, concertar com fita adesiva até aquilo que não tem mais jeito.


Monique Burigo Marin

10 comentários on "Irreversível"

Marcos Santana on 2 de dezembro de 2010 18:39 disse...

Muito obrigado pelo comentário.

Curti muito teu jeito de escrever, Bem profundo ^^

--

Se quer aprender a desenhar, acompanhe meu blog, sempre vou postar livros e processos.


--

Abraços,
Marcos


http://marcosilustra.blogspot.com

Patrícia Lemmon on 2 de dezembro de 2010 19:34 disse...

entendo perfeitamente oq vc escreveu...


http://minhavidadelimao.blogspot.com/

~*Rebeca e Jota Cê*~ on 2 de dezembro de 2010 19:35 disse...

Adorei!

Lika on 2 de dezembro de 2010 21:50 disse...

Já estava ficando com sdd dos teus textos! ^^

Rah C. on 2 de dezembro de 2010 22:11 disse...

Na hora da raiva, sempre fazemos algo que depois nos arrependemos. Na verdade, não devemos nos arrepender e sim aprender com os erros.
Adorei aqui. :)
Beijos

Wiliam Jose Koester on 2 de dezembro de 2010 22:39 disse...

no meu caso, eu não conseguiria fazer uma fogueira.
eu ia guardar tudo numa caixa e enterrar, tentaria esconder o lugar de mim mesmo, mas sei que faria de tudo pra ter certeza de que sempre saberei onde cada coisa está.

mas acho que não daria pra me livrar das coisas que agora fazem parte de mim.

mulherices on 2 de dezembro de 2010 22:49 disse...

Quando a gente se separa, faz dessas coisas, rasga foto, joga coisas fora ... depois, bem mais tarde, se arrepende ...

Dan Arsky Lombardi on 3 de dezembro de 2010 18:35 disse...

Se queimar não tem fita adesiva que arrume. Até por isso prefiro o fogo.

Leon K. Nunes on 3 de dezembro de 2010 22:42 disse...

Pensei que fosse postagem sobre o filme, Irreversível. É sem dúvida menos trágica que ele, mas ainda assim boa postagem; expressa bem um dilema sem solução aparente, ao menos para quem vê de fora...

Quem vê de dentro geralmente tem sempre a impressão de que fez a coisa certa e definitiva...

Pedro on 5 de dezembro de 2010 00:16 disse...

E depois você provavelmente ficaria com raiva, arrancaria a fita adesiva e terminaria de destruir as pedrinhas no sapato. Aí estaria quase livre.

 

Template e imagens do layout por Wiliam Jose Koester.