Fantasias Tamanho GG

por Monique Burigo Marin às 9:19 PM
                                                                   Imagem: Eu, no carnaval.

No carnaval,quando eu era criança, gostavam de me fantasiar de palhaça. Pintavam no meu rosto olhares estelares, bochechas rosadas e um sorriso. A roupa que eu vestia pinicava, era uma mistura de vermelho, branco, amarelo e verde. Muito brilho, muita cor, muita graça.
Eu tinha duas mãozinhas assassinas que faziam pequenos furos na roupa, misturavam a maquiagem em meu rosto e me faziam parecer o Curinga do Batman, após ter derretido em um dia de sol.
Ao chegar no local em que seria a celebração, os adultos diziam que eu estava uma gracinha e apertavam minhas bochechas, as crianças riam de mim – e não é para isso que servem os palhaços? – e o som do meu riso se misturava ao som do riso delas. Eu era feliz e não sabia. Agora, eu sei.
A música tocava e o batuque fazia nossos corações vibrarem como um só.
Minha melhor amiga era uma melancia, meu irmão um índio canibal, e eu uma palhaça desfigurada de uma piada só. Mas, todos falávamos a mesma língua e éramos iguais em nossa essência.
No fim da festa confetes e serpentinas caíam feito neve sobre nós, era chegada a hora de dizer adeus e então dizer olá para a alegria infindável. A vida era o melhor dos carnavais.
Hoje, meus sapatos de palhaça apertaram os dedos dos pés, e todas as fantasias estão pequenas demais para mim. 

* Escrito em 2008, para a aula de redação.
* Agora também escrevo aqui, onde deixei outro ponto de vista sobre o carnaval. Todos serão muito bem vindos!

Monique Burigo Marin

7 comentários on "Fantasias Tamanho GG"

Luci on 7 de março de 2011 12:08 disse...

Sei bem como se sentiu... minha mãe tbm fazuia isso comigo.
Poderiamos criar uma comunidade no Orkut: Nós sobrevivemos ao Carnaval, rsrsrsrss

http://vivaiona.blogspot.com/

Dan Arsky Lombardi on 8 de março de 2011 11:13 disse...

O sabor não era de bons tempos de carnaval; era de infância bem vivida. Pode vir a fantasia tamanho GG e sapatos que não apertem seus pés, o gosto não volta por inteiro.
A sua sorte é ter da maquilagem borrada para lembrar e só por lembrar já volta um cisco daquele gosto de naftalina das roupas que passavam um ano esquecidas em baús e dos doces feitos somente de açúcar e corante que pareciam ser feitos de tudo que existe de melhor nessa vida.


Adorei o texto.

#marihmenezes. on 9 de março de 2011 13:18 disse...

Que texto lindo e fofo, a sua cara *-*
Adorei, deve ter tirado 10 na redação :9
Não posso descrever o que sinto ao ler suas palavras. Elas são muito doces, mais até do que jujubas! :3
Haha, bj :*

Sirocco on 10 de março de 2011 13:37 disse...

Lindíssima a foto! Adoro fotinhos de criança, andei digitalizando um montão minhas! Minha família nunca foi muito festeira... e nunca me deixavam fantasiar... cresci seco no meio de um motne de adultos... meio que ando vivendo minha infância agora... por isso sou um homem meio bobão.

leticia ramos on 11 de março de 2011 12:16 disse...

Eu me fantasiava de palhaça nos primeiros carnavais. Ou melhor, meus pais me fantasiavam. Mas eu gostava. Incrivel como naquela época tinha outra significado, essa coisa de Carnaval. Nunca gostei de sair, mas esperava ansiosa para ir lá e dançar, fazer trem e essas coisas. Depois que cresci e percebi que Carnaval passou a significar "pegar geral e beber muito", eu parei de ir.

Julie Duarte on 11 de março de 2011 20:06 disse...

Eu nunca tive carnaval, nunca gostei e ainda não gosto. Mas acho legal a diversão, as fantasias e tudo o mais *-*

. on 5 de abril de 2011 13:55 disse...

Eo nunca gostei do carnaval tbm.. sempre qdo é carnaval eo vou pra um lugar bem distante só admirar a natureza até passar este evento.. hehehe.. beziitos.. Thais Souzaa. http://thaishsouza.blogspot.com/

 

Template e imagens do layout por Wiliam Jose Koester.