Clara.mente

por Monique Burigo Marin às 1:53 PM

Imagem: Kmye-chan 

  Amo teu lado obscuro de um jeito insensato. Quero conhecer o teu mundo do lado de dentro. Não temo tuas cordas ameaçando meu corpo. Há tempos fugi do teatro de marionetes.
  Não há por que vasculhar minha mente, meus olhos denunciam antes e mais claramente. Há uma porção de coisas sem explicação que vou varrendo para debaixo do meu próprio chão. O subterrâneo ficará pequeno para tanta falta.
 Despida de toda e qualquer armadura, entregue aos perigos do desconhecido, sozinha tentando tapar o sol com dedos pequenos. No final, quem morre sou eu.
  Enquanto isso, quero repousar no teu pensamento. Até entender esse medo de te perder para o passado, e de me perder entre as tuas lembranças até desaparecer.


Monique Burigo Marin

3 comentários on "Clara.mente"

neh.etc on 26 de setembro de 2011 20:25 disse...

texto cheio de palavras de duplo sentido ....

Dan Arsky Lombardi on 27 de setembro de 2011 07:48 disse...

Se entregar de peito aberto, sem se importar com os tiros de escopeta que as paixões perigosas podem trazer.

Quanto ao seu email, não vi, para qual endereço mandou?

Quanto ao que achou do texto do "final feliz" fico satisfeito de ter chego em alguém com algum efeito benéfico.

Por fim, acho que você deveria postar mais, o hiato entre os textos está muito largo, fico sempre entrando por aqui procurando novidades, mas isso pode ser coisa de gente doida e insensata, então desconsidere se for esse o caso. =D

Fernanda on 28 de setembro de 2011 17:21 disse...

Amei, Monique, principalmente o "conhecer teu mundo do lado de dentro". Amar e entregar-se não é isso, virarmos cavalos de Troia para rompermos muralhas (mas sem surpresinhas desagradáveis nas intenções, é claro)? Beijíssimos e ultrassucesso!

 

Template e imagens do layout por Wiliam Jose Koester.