Justo Em Mim

por Monique Burigo Marin às 6:30 PM

IlustraçãoSandy


Por Rafael Menotti Mazini

Isabel acorda
Olhos semicerrados
Pensamentos ínfimos
Nada de novo

Já não tem certeza
Se os campos de morango
terão mesmo sabor
E as cores, o seu valor

Sem entender
Se lança ao mundo
Tenta abraçá-lo
Mas é grande para os seus braços
Diz que vai crescer e alterar tudo

No escuro da noite
Sons de lamúria
Outro pesadelo
Noite mal dormida

Isabel acorda
O mundo não a escolheu
Ela já esperava
Campos de morango
De sabor amargo
Sem entender
Escuta choros baixinhos
De uma gaita de boca

-
Incrível como às vezes, os outros interpretam nossos personagens melhor do que nós mesmos.

4 comentários on "Justo Em Mim"

Higor Dourado on 19 de agosto de 2010 22:37 disse...

AAh.. tinha mó tempão que eu não lia um poesia.. valeu a pena ter visto teu blog ^^
visite o estena.blogspot.com ^^

on 21 de agosto de 2010 23:58 disse...

Quanta profundidade
Em palavras tão simples...
^^
Apaixonei.

Maapha on 24 de agosto de 2010 23:19 disse...

Eu tentei descobrir sobre o que esse poema fala. Mas tá beeem tarde agora e não consigo pensar o bastante pra isso. Desculpe XD

projetonulladiessinelinea on 21 de setembro de 2010 19:56 disse...

Acho que Isabel pode ser cada um de nós... Que espera poder abraçar o mundo e comer morangos doces e fica mal qdo vê que não tem braços tão grandes e que os morangos estão amargos... Não sei se foi essa a intenção do autor, mas foi o que senti ao ler!

Curti. :)

abs.

 

Template e imagens do layout por Wiliam Jose Koester.