Por Todos os Quases

por Monique às 1:25 PM

Por tudo o que poderia ter sido e não foi, quero dizer que não sinto muito. Quero dizer que não sinto mais. Confesso que foi difícil, perdi tempo monitorando meus pensamentos para que não se aproximassem de ti. Até troquei o telefone porque não suportava mais aquele fio tão parecido com o seu cabelo. Parei de assistir TV para evitar lembrar da sua mania irritante de trocar o canal a cada segundo. Cortei quase todos os veículos de comunicação, com medo de que você aparecesse aqui e ali, em alguma palavra, em alguma imagem, em algum ponto final disfarçado de reticências. E, o mais ridículo de tudo é que lembrar de não lembrar não me permitia esquecer. Eu não percebia, quase deixei de ser. Foi um período de existência efêmera. Mera transição de um eu para outro desconhecido. Mas, agora, nem a sua síndrome de pernas inquietas atrapalha minha quietude.

... Eu continuo aqui, querendo dizer e, por vezes dizendo através dessas palavras que você nunca escuta.


Monique.

11 comentários on "Por Todos os Quases"

- Nessa ਏਓ on 12 de setembro de 2009 17:13 disse...

Lindo blog (:
Dize tudoo''
Quando uuma relação acaba costumamos agir dessaa forma...(...não suportava mais aquele fio tão parecido com o seu cabelo.)
hehehe gostei disso.

:*

feя on 13 de setembro de 2009 02:56 disse...

Olá, Monique.
Eu sou seu fã. Mais nada a declarar.
Parabpens por tudo aqui, sempre!! =)

Gostei muito muito do texto.
até...^^

Caio Coletti on 13 de setembro de 2009 12:18 disse...

Você escreve muito bem!
Parabéns pelo talento em tratar de uma forma diferente um assunto, um tema, uma situação que já foi abordada por tante gente. Seu texto tem frescor, tem criatividade e tem competência.

Abraço.

P.S.: No meu blog, o Anagrama (http://o-anagrama.blogspot.com/), parte da proposta é publicar textos de outros colegas blogueiros, também para divulgar trabalhos que merecem o ser. Sua colaboração seria uma honra. Só mandar um e-mail com um texto para o ce.coletti@hotmail.com, certo?

nanaah on 13 de setembro de 2009 13:37 disse...

Meus parabéns, você conseguiu o que tenho procurado. Um blog com um layout bonito e organizado e um texto que preste - quase sempre quando se tem um, não se tem o outro.
Gostei daqui e virei sempre, sucesso para o seu blog.
Nanaah

Fernanda on 13 de setembro de 2009 18:53 disse...

enfim *-* estava esperando por outro texto teu.
e sem dúvidas, esse foi um dos melhores que você já escreveu. nem vou falar que amei. (:

Annie on 13 de setembro de 2009 19:41 disse...

Oláa!
Primeira vez por aqui. ADOREI o seu blog.
Falou e disse ! =D
E é muito fofo o seu template *.*
Beijão!

Simmons on 16 de setembro de 2009 10:50 disse...

primeira vez aqui, mas curti demais,
suas palavras seguem um tom firme, e passam sinceridade,
que poucas pessoas conseguem expressar, quem nunca passou por isso...
quem nunca sentiu suas palavras, e medo de se lembrar do que tanto se tenta esquecer...
Eu voltarei =)

Daniela on 20 de setembro de 2009 01:24 disse...

detalhes! muito bom *-* (l)

Nanaah on 22 de setembro de 2009 22:33 disse...

esperava ver algo novo aqui T-T

m_s_mito on 24 de setembro de 2009 23:14 disse...

Belo texto...

Se ainda guarda lembranças é porque realmente valeu a pena se arriscar, apostar, ver a roleta girar e por fim ter a certeza de que as fichas serão distribuidas novamente... Quem sabe quem serão os próximos apostadores?

Pretendo voltar... ^^

Thais Lima on 3 de outubro de 2009 23:52 disse...

Olá Monique. Um ótimo texto. Visite os meus e pode comentá-los também. Adorei. thaislimaa.blospot.com

 

Template e imagens do layout por Wiliam Jose Koester.