A Confusão de Nós

por Monique às 5:17 PM

Essa garota pensa que me conhece. Um dia ela tropeçou nos próprios pés e eu a segurei, nos tornamos amigas imediatamente.
Ela é tão encantadora que atrai todos os olhares para si, estes a transpassam como se não fosse mais do que um espectro, e enxergam através dela... Os corpos atrás dela. Nunca, nunca dentro dela.
Essa garota ri como se a vida fosse uma piada repisada que no entanto nunca perde a graça. Mas eu sei, há sempre algo se revirando incomodamente em seu estômago. Um gato, afofando a almofada que nunca fica fofa o bastante, porque no fundo ele quer mesmo é um novelo de lã para enroscar-se todo e não ter mais escapatória.
Nunca sabe explicar o motivo que a faz sentir tanta paz em momentos de guerra quando uma criança sorri, nem a serenidade que sente quando ouve o barulho das ondas quebrando no mar, nem o que lhe invade quando sente cheiro de baunilha e recebe beijos com gosto doce de hortelã. Não precisa de motivos... é só.
Quando a alegria se instala ela abre e fecha mãos e olhos simultaneamente, querendo pegar e guardar cada milésimo, perpetuamente. Há outro truque que ela usa para guardar e recordar os bons momentos, mas esse ela não revela, é segredo deles.
Sente impulsos de abraçar bem apertado, de afagar os cabelos bagunçados na cabeça daquele garoto que sempre a faz sorrir. Ele é como óleo, desenferruja os músculos da face. Mas ela se contém... Sempre se contém, é o maior defeito dela.
Vez ou outra ela se cala, jura para si mesma que não falará, e não fala. Então o medo cresce, mas ela está decida a vencê-lo. Conta os dedos das mãos trêmulas sempre começando da direita para a esquerda, depois para. O coração se aquieta, o medo se torna covarde e foge dela. O medo tem mais medo dela do que ela tem medo do medo. Patético.
E nesses dias em que absolutamente tudo é silêncio, ela responde em pensamento – tola – eles não a podem ouvir. Partem sem saber. E ela pensa – adeus.
Essa garota é tão parecida comigo que às vezes não sei quem de nós é ela.



Monique.


ps:
os comentários estão logo abaixo do título :)

9 comentários on "A Confusão de Nós"

Mαяiн ♥ on 16 de maio de 2009 10:56 disse...

Monique, achei seu blog muito fofo e muito inteligente :)
Gostei e sou uma nova seguidora!
Parabéns pelo blog, muito fofo ;)

Lina :) on 17 de maio de 2009 14:03 disse...

Que lindo, Monique.
Mas fiquei confusa se você está falando de você mesma ou não.
Mas não vou palpitar.
^^'
Beijos.

Rodrigo Yoshizumi on 17 de maio de 2009 21:07 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bruna Berri on 17 de maio de 2009 21:54 disse...

Talvez você seja ela, e ela seja você.

Quem sabe?

Billy! on 18 de maio de 2009 11:55 disse...

Quem sabe uma não é apenas parte da outra, é vice versa?

www.conto-um-conto.blogspot.com

Bruna Berri on 18 de maio de 2009 17:54 disse...

mozinha, tem um selo para você no meu blog. haha!

Hosana Lemos on 21 de maio de 2009 09:42 disse...

Primeiramente queria dizer que achei teu blog LINDO!!!

quanto ao texto...
"Vez ou outra ela se cala, jura para si mesma que não falará, e não fala."

Tenho muito dessa menina em minhas características...
no meu caso eu calo quando deveria falar, e falo quando deveria calar!
...


adorei, bjs

Jessica Aguiar on 22 de maio de 2009 20:56 disse...

Talvez e só talvez, vocês se misturem. Se completem, e outras vezes são diferentes. Diferentes o suficiente para se tornarem iguais e se confundirem. Belo texto !

antoniopimenta on 2 de junho de 2009 21:03 disse...

Muito Sucesso ao seu blog!
Abraços
:D
http://antoniopimenta.blogspot.com/

 

Template e imagens do layout por Wiliam Jose Koester.